Neuroteatro


Objetivos:
  • Provocar a reflexão sobre determinado tema;

  • Simular a realidade experimentando novas maneiras de pensar e de fazer as coisas;

  • Incentivar a solução de problemas de forma criativa e inovadora levando as pessoas a pensar “fora da caixa”;

  • Tratar temas delicados, de difícil abordagem numa organização, através da licença poética do teatro;

  • Ilustrar palestras sobre qualquer tema.


Características:
  • É um espaço de reflexão e criação onde não existem os conceitos de “certo/errado” permitindo que as pessoas soltem todo o seu potencial sem o medo de errar;

  • O palco se torna um espaço de experimentação e simulaçãoe os atores argila que pode ser modelada e utilizada pelo público;

  • Textos escritos sob medida para o tema a ser tratado. Sempre que possível observa-se a dinâmica do dia a dia do público alvo, para que a montagem do texto reflita, o mais próximo possível,a realidade das pessoas;

  • Figurinos e cenários mínimos. A força do trabalho está no texto e na interpretação. Isso torna possível a atuação em praticamente qualquer tipo de ambiente.


Atividades:
  • Cena inicial que provoca a reflexão sobre determinado tema;

  • Reflexão coletiva sobre o que foi exposto no texto/representação;

  • Ação criativa do público sobre o tema proposto;

  • Reflexão coletiva sobre o que aprenderam uns com os outros;

  • Reflexão final. Fechamento.


Equipe:
  • Atores profissionais;

  • Facilitador com pleno domínio do tema tratado.


A quem se destina:
  • Organizações que estejam passando por processos de inovação e/ou transformações culturais;

  • Organizações que estejam vivenciando algum tipo de problema relacional de difícil abordagem;

  • Organizações que precisem profissionais mais criativos e inovadores para fazer frente a um mercado sempre em mutação e sempre turbulento;

  • Fusões de empresas e/ou equipes multidisciplinares de projetos;


O que as pessoas aprendem:
  • Soltar seu potencial criativo;

  • Novas maneiras de raciocinar a dinâmica do dia a dia;

  • Lidar com pensamentos antagônicos e buscar consenso;

  • Sintetizar ideias com clareza;

  • Solucionar problemas de forma inovadora. Pensar “fora da caixa”.


Qual o retorno para as organizações:
  • Profissionais mais criativos e com capacidade de inovação;

  • Profissionais mais produtivos e capazes de lidar com um mercado cada vez mais complexo;

  • Novas ideias para os processos do dia a dia;

  • Novas percepções sobre a dinâmica das redes de relacionamento e, portanto, novas formas de solucionar problemas relacionais.